_________________________________________

Raros são aqueles que hoje em dia persistem em negar que os mitos e as tradições se podem tornar os melhores guias dos arqueólogos do saber. No entanto, são verdadeiramente arbitrárias as razões pelas quais se recusa a certos mitos e tradições a consideração que se consente a outros.

O conformismo religioso e, designadamente, aquele que preside ao ensino das chamadas humanidades estão, indubitavelmente, na origem dos aludidos distinguo.

Rotas do Sagrado são programas que têm por objecto redescobrir a História e a Geografia Míticas de Portugal, tão sistematicamente quanto possível, reportando-se a um extraordinário manancial de referências e informação obtidas a partir de disciplinas como a astronomia, a numerologia pitagórica, a geometria simbólica, a iconologia, a heráldica, a geomância, a história mítica e a geografia sagrada nacionais.

Podem ser organizados programas especiais ou realizados os descritos adiante, para grupos específicos, mediante solicitação.

Registro curto de uma das Visitas Guiadas pelo Prof Manuel J. Gandra

Rotas do Sagrado- Viagens de Conhecimento pela História de Portugal e do Brasil- AGENDA CESDIES-IMUB-IDEGEO na Europa:
Visita guiada por Manuel J. Gandra ao MOSTEIRO DA BATALHA (Mosteiro de Santa Maria da Vitória), Portugal, mandado edificar em 1386 por D.João I de Portugal como edifício ex-voto, ou seja, por agradecimento à Virgem Maria pela vitória na Batalha de Aljubarrota.

D. João I é o monarca fundador da DINASTIA DE AVIS.

O que significa AVIS?

AVIS é o genitivo da palavra AVE. Que AVE é essa segundo a Tradição Portuguesa? O ESPÍRITO SANTO. Portanto, a DINASTIA DE AVIS é a DINASTIA DO ESPÍRITO SANTO.
É sobre a DINASTIA DE AVIS que CRISTO se refere no Milagre de Ourique que haverá de retornar. A DINASTIA DE AVIS teve seu “fim” com o último monarca D. Sebastião, que “morreu” sem deixar herdeiro.
Segundo o JURAMENTO DE IMACULADA CONCEIÇÃO feito pelo primeiro rei de Bragança, D. João IV, tão logo um descendente da CASA DE AVIS retorne os Braganças são obrigados a entregar a COROA de volta ao VERDADEIRO REI.

topo