“Conservador” é uma palavra ligada à CULTURA

Os “conservadores” brasileiros tem se esmerado a cada dia mais. Está na crista da moda a competição para medir quantitativamente quem é mais ou menos “conservador”. Como contraponto, ninguém nunca viu a esquerda, no Brasil e no mundo, com esse tipo de imaturidade, ou seja, procurando distinguir quem é mais ou menos esquerdista, exatamente porque sabe o seu papel e tem pleno conhecimento de temas, livros, autores, obras, etc. Há que se reconhecer que a esquerda tem conteúdo, substância, personalidade e papel definidos, que foram minuciosamente construídos tijolo por tijolo ao longo de décadas; a “direita” brasileira desconhece o que seja isso, tampouco parece importar-se com a construção de um trabalho árduo para afirmar-se e identificar-se como “conservadora”. Afirma-se “conservadora” e ponto final.

Isto é, entre esses “conservadores” predomina o pensamento de que basta pronunciar a palavra “conservador” que a pessoa se transforma nela por osmose ou intervenção divina.

“Conservador” é uma palavra ligada à CULTURA, jamais à política, e quando usada dentro desta tem limites e contornos bem definidos. Basta ler Roger Scruton para vislumbrar a distância entre a realidade e o delírio no Brasil atual.

“Conservadores” aqui não priorizam nem a CULTURA, nem a formação de uma classe de intelectuais para criação de estratégia e combate acadêmico contra os comunistas. Afirmam categoricamente que “não tem tempo”, que precisam “agir agora”. Como alguém pensa que pode “agir” sem CONHECER é um fenômeno que somente a sociedade brasileira, adestrada como gado pelo marxismo cultural, pode produzir.

O Brasil É COMUNISTA GRAMSCIANO na maior e plena extensão do termo. Reverter essa realidade levará décadas, caso a ALTA CULTURA passe a ser prioridade. Até lá, o que temos é estancamento de sangria e reação as investidas dos comunistas.

Como um povo muda sua trágica realidade vivendo na mentira e se recusando a enxergar sua tragédia e sua realidade? Não muda. Para esse povo a VERDADE dói e a mentira é preferível porque não tira ninguém da sua zona de conforto nem dá trabalho para as consciências individuais.

Um pais é um Ente abstrato, é composto de seres humanos, e as consciências individuais das pessoas é que devem ser transformadas por mérito próprio e não como produto de engenharia social. Inverter essa lógica e essa realidade é a prova inconteste de estar este país sob domínio da mentalidade marxista-gramscista.

23 de abril de 2017

0 responses on ""Conservador" é uma palavra ligada à CULTURA"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

topo
X