FERNANDO PESSOA E ASTROLOGIA

A aula do ESCOLA ABERTA de hoje foi sobre Fernando Pessoa e o Quinto Império.

No Brasil, Astrologia é um tema carregado de estigmas e sobre o qual pairam ignorâncias inauditas. A mais remota notícia conhecida reveladora da existência de cultos astrais na Península Ibérica é a constante no poema ODE MARÍTIMA de Avieno. Incontáveis artefatos, inscrições lapidares, numismáticas, atas conciliares, constituições de bispados, tradições e ritos populares, decretos régios, e a famosa Aula da Esfera do Colégio de Santo Antão onde os jesuítas ensinaram Astrologia por mais de 300 anos seguidos, constituem alguns dos exemplos notórios da Astrolatria em Portugal.

Um dos erros comuns é reduzir a Astrologia a uma única expressão, quando há vários tipos de Astrologia ( de Eleição, Judiciária, Médica, Horária, Lunar, Mundial). A censura eclesiástica recaia sobre a Judiciária e Mundial e mesmo assim, com reservas e condições. Os jesuítas do Colégio de Santo Antão antes de iniciar aulas das mesmas faziam seus “considerandos” e abriam a matéria. Há documentação exaustiva sobre isso.

É fato pouco consabido que Fernando Pessoa era Astrólogo profissional. Pessoa afirma que há Três Astrologias [Esp.E3/144P-34v]: “1) Individual; 2) nacional; 3) oculta”. Para ele, “três coisas não há que buscar no horóscopo: 1) as qualidades fundamentais do indivíduo, quanto ao seu grau íntimo; 2) o ponto de partida social da sua vida; 3) o que resulta dele, e da vida que teve, depois da morte. Tudo, menos isto, o horóscopo inclui e define”. O livro MENSAGEM onde Pessoa abordou a epopéia dos Descobrimentos Marítimos carrega um nível de leitura astrológico invulgar.

A maior parte dos escritos astrológicos pessoanos mantém-se inédita. Foi Paulo Cardoso o primeiro a mergulhar nesse espólio e publicitá-lo. À guisa de exemplo, o HORÓSCOPO de PORTUGAL constitui um exemplo paradigmático e sua leitura deslinda diferentes hipóteses e mitos sobre Portugal cujo papel no poema INFANTE (in: MENSAGEM) está ainda por cumprir:

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce,
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
SENHOR, FALTA CUMPRIR-SE PORTUGAL!

Fica a pergunta: o que é Portugal?

 

25 de fevereiro de 2017

0 responses on "FERNANDO PESSOA E ASTROLOGIA"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

topo
X