O DEVOCIONÁRIO DOS JESUÍTAS E O ROMANCEIRO TRADICIONAL NA ORIGEM DA MODA-DE-VIOLA

Hoje é dia do FOLCLORE que é parte integrante da Alta Cultura Brasileira. Um exemplo disso pode ser encontrado no estilo do CURURU.

Pouca gente sabe que difundido no Devocionário dos Jesuítas que chegaram ao Brasil em 1549, o Romanceiro tradicional (género literário de tradição oral constituído pelo conjunto de breves poemas tradicionais ou romances cuja origem remonta à Baixa Idade Média. Tal designação surge já em 1579 com a coleção de Lucas Rodrígues – Romancero Historiado -, sendo consolidada em 1600 com o Romancero General) está na origem dos principais afluentes de modas caipiras, impecável e belamente conservadas pelo Brasil Rural, o Brasil da Roça, da fazendas das nossas avós, do cheiro do mato, do leite de vaca tirado de madrugada, do doce-de-leite feito no tacho de cobre, da farinha de mandioca, da pamonha de milho, do arroz com piqui, do churrasco de chão, do peixe na telha,… Este Brasil imenso e lindo pleno de ALTA CULTURA que ainda existe e subsiste apesar de tudo.

A Moda-de-viola por sua fabulação novelesca e legendária, autênticas é o remanescente dessa herança dos Devocionários dos Jesuítas e dos cantares indígenas. O estilo do CURURU e do CATERETÉ são os mais primitivos dos sons caipiras herdeiros dos cantares indígenas e dos cantares medievais, são a raíz da música CAIPIRA, a autêntica, música espiritual, profunda.

“O cururu é um ritmo bastante usado na música caipira. Nasceu quando o jesuíta para ensinar catequese aos índios faziam uma festa chamada de “festa da santa cruz”. O índio, por não conseguir falar a palavra cruz, dizia “curuz” e com o tempo o ritmo ganhou o nome de cururu.

Há vários tipos de cururu, como o Piracicabano, por exemplo que é um desafio feito entre os violeiros assim como as emboladas. Dai surgiu o ritmo cururu que é um ritmo básico da viola .

Aqui no nosso caso, cururu é um ritmo básico da viola que veremos a seguir. Exemplos de músicas com este ritmo:

Canoeiro (Zé Carreiro e Alocir de Tatuí)
Saudades de Araraquara (Zé Carreiro)
Peito Sadio (Raul Torres e Carreirinho)
Menino da Porteira (Luizinho e Teddy Viera )
Pescador e catireiro (Cacique e Pajé)”.

Saiba mais no site Cifras de Viola: http://cifrasetablaturasdeviola.blogspot.com.br/…/cururu.ht…

O vídeo abaixo traz a moda de viola “O PODER DO CRIADOR”, um cururu da dupla Goiano e Paranaense.

22 de agosto de 2017

1 responses on "O DEVOCIONÁRIO DOS JESUÍTAS E O ROMANCEIRO TRADICIONAL NA ORIGEM DA MODA-DE-VIOLA"

  1. Belo trabalho da equipe do IMUB. O resgate da nossa cultura é uma necessidade.
    Dupla espetacular.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

topo
X