O ISLAM E O NAZISMO

O século XX notabilizou-se em perseguir as 2 religiões que são a base do Ocidente cristão: judeos e cristãos. A perseguição ainda continua. Não há diálogo possível com o Islam. NUNCA. Adotar a agenda multicuturalista é a forma mais eficiente de manter o projeto de destruição e assassinato de judeos e cristãos. O multiculturalismo deve ser lançado nos quintos dos Infernos!

Compartilho o post de Priscila Garcia cujo trabalho de esclarecimento sobre o Islam nas mídias sociais é basilar. Acompanhem-na.

“Respondendo:
A simpatia e a aliança entre o nazismo e o Islam é ANTERIOR à II Guerra, e começou na verdade no século XIX.

Lembrem-se, amigos de que o império otomano foi aliado do império alemão na PRIMEIRA guerra, entre 1914-1918… A Alemanha era adversária histórica da Rússia czarista: russo nunca foi com a cara de alemão e alemão nunca foi com a cara de russo, basicamente.

A aliança entre Stalin e Hitler foi algo feito devido aos interesses dos líderes tirânicos de dois modelos muito parecidos: mas não tinha fundamento “popular” – ou seja, não era algo solidamente fundamentado, muito ao contrário.

Quando a I Guerra terminou, a Rússia JÁ TINHA saído dela por causa da revolução comunista, em 1917: e já era URSS. Por sua vez, o nacionalismo alemão começava a botar a cabeça de fora, devido a ter perdido a guerra, assim como o califado otomano também estava estropiado devido à dita cuja.

Quando o nazismo começou a sua hedionda ESCALADA, o seu aliado mais ÓBVIO era o Islam: que compartilhava com a Alemanha uma esmagadora DERROTA, numa guerra recente.

Além do mais, o nazismo tinha o anti-judaísmo como ponto de MÁXIMO destaque: o que o LIGAVA mais ainda ao Islam.

Portanto, muito ANTES do nazismo virar GOVERNO, já os nazistas e os muçulmanos se LIGARAM, tanto por estratégia POLÍTICA – sempre é interessante TER aliados, seja em condição de guerra ou seja em condição de paz – quanto por REAL identidade de objetivos – no caso, “exterminar judeus”: seja no seu sentido CONCRETO de assassiná-los, como era o propósito jihadista, seja no sentido de ANULAR seu poder econômico e político como legítimos cidadãos, como era o propósito inicial dos nazistas – que no entanto passaram a adotar o propósito islâmico quando isto lhes foi exigido pelo mufti de Jerusalém: que falava em nome da MUSLIM BROTHERHOOD, e portanto da JIHAD ISLÂMICA.

COMO, por sinal, disse recentemente Benjamin Netanyahu, um homem que obviamente SABE a verdade, e não teme dizê-la.

A aliança NAZI-ISLÂMICA já existia desde muito ANTES da Guerra, e da existência de Israel – e a “solução final”, o HOLOCAUSTO feito pelos nazistas, foi uma EXIGÊNCIA da parte ISLÂMICA desta aliança: Hitler queria EXPURGAR os judeus e USURPAR tudo que eles tinham, mas a exigência de também assassiná-los veio da JIHAD ISLÂMICA, veio do ISLAM. Não que Hitler “se opusesse” a este horror: apenas esta não era a SUA idéia original – mas sim a da MUSLIM BROTHERHOOD, a do mufti, a do ISLAM.”

23 de fevereiro de 2017

1 responses on "O ISLAM E O NAZISMO"

  1. Isso a gente não aprende na escola.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

topo
X