• IMUB

AI FLORES DE VERDE PINO – cantiga trovadoresca – Loryel Rocha

AI FLORES DE VERDE PINO

Música trovadoresca composta pelo Rei D. Dinis de Portugal. Como autor é o mais fecundo de todos os trovadores portugueses, com um total de 137 composições. Trata-se de uma Cantiga de Amigo, onde a voz de uma mulher está a falar ao seu amado. A mulher dirige-se às flores perguntando se sabem notícias do amado, com quem teria combinado um encontro. Marcada pela ansiedade a mulher pensa que o amado faltará ao combinado. Nas últimas estrofes as flores respondem que o amado virá e cumprirá o prometido. A voz é da cantora galega Helena de Alfonso, e esta canção foi publicada no primeiro disco do grupo «Barahunda» em 2002. LETRA Ai flores, ai flores do verde pinho, se sabedes novas do meu amigo? Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo, se sabedes novas do meu amado? Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo, aquel que mentiu do que pôs comigo? Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado, aquel que mentiu do qui mi há jurado? Ai Deus, e u é? Vós me perguntardes polo voss’amigo, e eu bem vos digo que é sã’e vivo. Ai Deus, e u é? Vós me perguntardes polo voss’amado, e eu bem vos digo que é viv’e são. Ai Deus, e u é? E eu bem vos digo que é sã’e vivo e seera vosc’ant’o prazo saído. Ai Deus, e u é? E eu bem vos digo que é viv’ e são e seera vosc’ant’o prazo passado Ai Deus, e u é?

526 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O PAPEL DE LULA NO CONTROLE DA ESQUERDA

Carlos Vereza (2006) no programa Jô Soares afirma uma verdade insofismável: “O Lula é uma cria da USP, das Comunidades Eclesiais de Base e do Gen. Golbery do Couto e Silva”. Confirma um dado important

A MAÇONARIA NO CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO DE 1917

A Maçonaria, lançada oficialmente, em 1717 nasce com uma tripla missão: derrubar a relação entre o Trono e o Altar e implantar a República Maçônica Universal.  Tal missão, em suma, visava simplesmente